sábado, 22 de agosto de 2015

Holanda



  Holanda, conhecida como  Países Baixos são um país de baixa altitude, com cerca de 27% de sua área e 60% de sua população situados abaixo do nível do mar. Uma significativa parte de seu território foi obtida através da recuperação e preservação de terras através de um elaborado sistema de pôlderes e diques. Grande parte dos Países Baixos é formada por um grande delta, o delta do Reno e Mosa

Amsterdam

Tão atraente é a atmosfera histórica do século XVII combinada à mentalidade de uma metrópole moderna, o que cria um ambiente simpático e relaxante. O tamanho pequeno dos prédios e a intimidade das ruas, canais e praças criam uma atmosfera que os visitantes adoram.
























Ao visitar Amsterdam, o sistema de transporte público será a melhor maneira de ir de A a B. Amsterdam possui uma rede muito grande de linhas de bonde, ônibus e metrô e até mesmo conexões de balsa que o levarão a praticamente qualquer lugar da cidade - ou ao menos muito próximo de onde deseja ir.



Amesterdão é famosa pela enorme quantidade de bicicletas e é o centro mundial delas. Quase todas as ruas principais têm vias para ciclistas, e pode-se deixar a bicicleta em qualquer lugar. Em Amesterdão, existem ao redor de 700 000 ciclistas (750 000 habitantes). 60% dos movimentos pendulares no centro da cidade são efetuados usando bicicleta e 38% na generalidade da cidade.












Amsterdam, você não pode deixar de fazer um passeio pelos famosos canais da cidade. Embora isso pareça uma atração para turistas, é uma ótima experiência para aprender sobre a história de Amsterdam.

O passeio padrão dura cerca de 30 minutos e possui pontos de partida espalhados pela cidade. Mas também é possível agendar um pacote. Há passeios durante a noite, à luz de velas, pacotes para grupos, é possível alugar um barco inteiro, entre outros. Não importa quais sejam suas visitas escolhidas, inclua um passeio pelos canais, pois a partir deles, você terá a mais bela visão de Amsterdam.





Um moinho de vento, em sentido restrito, é um moinho que usa as hélices como elemento de captação e conversão daenergia eólica para outro tipo de energia apropriada para movimentar outros mecanismos.
É essa a utilização tradicional da energia do vento em terra. Em sentido lato, chama-se moinho de vento a qualquer motormovido a energia eólica, quer este motor esteja contido num edifício, como nos moinhos neerlandeses, que não são propriamente moinhos e sim bombas de água, quer seja apenas um sistema de pás montado no topo de uma torre, como nas modernas turbinas eólicas, geradoras de electricidade para movimentar as bombas centrífugas. A partir de 1970, os moinhos de vento nos Países Baixos foram sendo substituídos, no bombeamento de água, por motores elétricos que acionam bombas tipo parafuso de Arquimedes melhor indicadas na transferência de líquidos.


Moagem de Cereais

Os moinhos de vento podem ser aplicados à moagem de cereais. Neste caso, a energia que chega à base do moinho através do seu eixo central é utilizada para fazer rodar uma mó. Uma mó é uma pedra maciça, esculpida em forma de anel cilindrico achatado, de faces sulcadas e a cujo centro vazio se chama olho da mó. Numa instalação para moagem existem duas mós, sendo uma delas estática, denominada poiso e assente no chão do moinho, sobre a qual se coloca uma segunda mó com uma folga ligeira de modo a que não impeça o movimento de rotação, denominada corredor, com raio idêntico ao do poiso mas com altura inferior (em moinhos de vento da região do Ribatejo um poiso pesava tipicamente 1200 kg, enquanto que um corredor pesava oitocentos kg)


Elevação de água

Os moinhos de vento podem ser aplicados à elevação ou bombagem (bombeamento) de água. Neste caso, a energia que chega à base do moinho através do seu eixo central é utilizada para fazer rodar um parafuso de Arquimedes. Uma engrenagem colocada no eixo central é ligada a um parafuso colocado no interior de um tubo cilíndrico ou semi-cilíndrico oco, posicionado num plano inclinado na diagonal com a extremidade mais baixa colocada abaixo da linha de água. Eles foram muito utilizados nos Países Baixos com esta finalidade para drenagem dos pôlderes (terras baixas). Actualmente, a maior parte das bombas tipo parafuso são accionadas por energia eléctrica em vez da energia eólica.


Os tamancos de madeira têm sido populares na Holanda por cerca de 700 anos. Os usuários do calçado dizem que ele aquece no inverno, refresca no verão e ajuda a manter uma boa postura. O tamanco também absorve a transpiração permitindo que os pés respirem. Estes calçados, como ícones da cultura holandesa, aparecem nos costumes como a prática em que jovens homens holandeses presenteiam suas noivas com um par de tamancos esculpidos em madeira.


Hoje em dia, os sapatos de madeira são em sua maioria feitos por máquinas. Não restaram muitos fabricantes destes calçados, mas eles podem ser encontrados em algumas áreas turísticas da Holanda. Estes artesãos mostram as várias ferramentas que usam e demonstram como selecionam um tronco ou peça de madeira de acordo com o tamanho do sapato que irão fazer. Ambos os sapatos de um par devem ser feitos do mesmo tipo de madeira, até mesmo o tamanho da árvore deve ser o mesmo, desta forma a madeira irá encolher na mesma proporção. Normalmente, o plátano, o amieiro, o salgueiro e o álamo são usados para tamancos feitos à mão e o vidoeiro é usado para os feitos por máquinas. Os tamancos feitos na Holanda devem passar por certos testes que medem como eles reagem à altas temperaturas e pesos.


Decoração

Os sapatos de madeira holandeses podem ser lisos, pintados ou esculpidos. A pintura dos sapatos é um costume antigo que remete ao início da sua história. O primeiro artista a pintar sapatos de madeira foi Pieter Brueghel, o Ancião, em 1550. Tamancos esculpidos são normalmente escolhidos pelos noivos para dar de presente às noivas como um velho costume.


Klompenmakerij 'De Zaanse Schans'




Amsterdam: cidade sobre as águas

A partir de Vreeland você passará ao longo domaravilhoso rio Vecht até Nederhorst Den Berg e de Spiegelpolder a Plassen Ankeveense. Em seguida, você retornará a Ouderkerk e Amsterdam passando por Weesp e Abcoude. O itinerário tem cerca de 55 km e guia você pelas belas eespetaculares regiões pantanosas que circundam Amsterdam. Se desejar parar nocaminho para um almoço, recomendamos o terraço no 'de Voetangel' (Ronde Hoep Oost 3). Em Amsterdam, é possível alugar uma bicicleta emdiversos lugares.












.